nov 04 2017

Gente que encrenca com tudo. Como lidar com elas?


Com certeza você deve conhecer pessoas que gostam de criar confusões e intrigas sem motivo.  Vamos chamá-las de “Insatisfeitas”.

Elas te convidam para comer um macarrão e perguntam: “você prefere o molho vermelho ou o branco?”

Pronto. Não importa qual o molho servido, nem a sua resposta, nem seu sorriso… nem nada. Pois você estará sempre errada.


Se você disser “molho vermelho“,  a “Insatisfeita” fechará a cara, ficará em silêncio como se você fosse a culpada por todos os homicídios do mundo.  E nem tente perguntar “o que aconteceu?” Pois o silêncio reinará e você receberá um “nada!” mortal como resposta.


Caso você opte por “molho branco”, a Insatisfeita irá franzir as sobrancelhas e começará a ser irônica. “Pelo visto seu molho deve ser melhor do que o meu”.  “Quem sabe da próxima vez você faz o macarrão, né?”

Diz o dito popular, “a ironia é a mãe da raiva”.


Vamos supor que você opte por “não vou pôr molho“.  Nossa…  isso é cutucar onça com vara curta.

Pense bem: a Insatisfeita fez um molho (não importa qual) e você diz que não vai colocar no seu macarrão? É um conflito direto. Prepare-se para receber uma chuva de adjetivos nada agradáveis.





Esses exemplos são bem simples, mas situações assim acontecem o tempo todo.

E o que fazer? Como lidar com as pessoas “Insatisfeitas”?

Convivi com um grande amigo e artista chamado Krysthian Ratier. Um dia, para um churrasco, fomos juntos ao mercado.  Um “Insatisfeito” resolveu nos acompanhar.

Enquanto selecionávamos o que comprar para o churrasco, surgiu uma dúvida: levar água comum ou levar água com gás?

 Eu perguntei: “vamos levar água com gás?”

Foi o momento do Insatisfeito brilhar. Ele parou e, como se fosse um imperador, disse:
“Não. Vamos levar água normal!”

Fiquei um pouco assustado com a energia da resposta, mas concordei: “Tudo bem, vamos levar água comum”.

“Agora você não quer mais levar água com gás?! Agora você vai levar!”
Com o rosto embrutecido, o Insatisfeito começou a esbravejar e iniciar um escândalo.

Fiquei estático. Eu não conseguia visualizar o que estava acontecendo.

Eis que Krysthian Ratier, com grande sabedoria, disse: “Olha… A Coca-Cola está em promoção”.

Você já quis tirar seu cachorro de dentro de casa e o enganou jogando um pedaço de carne no quintal?  Então, o Insatisfeito foi em direção às Coca-Colas e o assunto mudou.


Mudar de assunto de forma suave, com contexto, fará você não ter dor de cabeça com os Insatisfeitos.

Por que “com contexto”? Pois se você mudar de assunto de forma brusca, os Insatisfeitos  podem perceber e será pior.   Mude de assunto com algo que realmente altere a atenção deles.

Então, quando um Insatisfeito te perguntar se “você prefere o molho vermelho ou o branco?”, olhe ao redor, veja o que pode ser usado e responda: “será que a Coca-Cola está geladinha?”

E cá entre nós, por que você foi comer macarrão na casa de um Insatisfeito?  Já ouviu falar em relacionamentos tóxicos?  Quando tiver a oportunidade, vá embora sem que o Insatisfeito perceba e não volte mais.

E você?  Passou alguma história com alguma pessoa “Insatisfeita”?  O que você fez?


Por Francisco Arquer Thomé. Professor e Jornalista

Deixe seu comentário