Confira algumas diferenças entre brasileiros e espanhóis

foto: Francisco Thome Arquer


Você está indo passar um tempo na Espanha? 

Confira algumas diferenças marcantes entre brasileiros e espanhóis.


1 – MUITOS IDIOMAS MISTURADOS

Na Espanha, principalmente em cidades grandes, você encontrará muitas pessoas falando línguas diferentes.

Não é como no Brasil, que as vezes aparece alguém “italianando”.

Uma simples viagem de metrô em Madri será um verdadeiro passeio pela Torre de Babel.


2. DIRETO AO PONTO

O brasileiro tem o costume de ser indireto em suas colocações, já o espanhol é bem direto.

Até acostumar, um espanhol parecerá “grosso” para o brasileiro. Já o brasileiro parecerá que está sempre querendo “puxar-papo” com o espanhol.

São apenas formas culturais distintas de se comunicar.

Se perguntamos para um conhecido:
– Você vai passar lá em casa hoje?
E esse colega não vai passar. O brasileiro responde “não sei, tem que ver se vou conseguir resolver um problemas antes, mas te aviso”.  Já o espanhol diz: “não vou”.


 

3.  A BUZINA NÃO É UMA OFENSA

No Brasil, quando ouvimos uma buzina, ela já soa como um palavrão ou um grito:

– Bííí, sai daí seu fdp!!!  Bííí. tô passando, otário!!!

Já na Espanha, a buzina é apenas um aviso:

– Bííí,  olá!   Bííi. Vamos?!

Isso não parece real?  Este ano, em frente à Embaixada do Brasil, havia um grupo com umas 50 pessoas reunidas (espanhóis e brasileiros). Tinha um congestionamento moderado na rua e um carro resolveu buzinar. Foi digno de ver: todos os espanhóis do grupo continuaram conversando, mexendo no celular, e não deram nem bola. No entanto, todos os brasileiros presentes se viraram imediatamente para o carro e encararam o motorista com insatisfação.

Resumindo, na Espanha se buzina muito mais que no Brasil. Mas são apenas “ois”, ok?


4. O SORRISO NÃO É TÃO COMUM

Na Espanha, não é comum sorrir tanto quanto no Brasil.  Isso dá a impressão que você está andando por um monte de gente triste, mas não é verdade. Com o tempo é possível refinar a percepção e notar que muitos espanhóis são felizes, mesmo sem mover sequer um músculo da cara.

E cá entre nós. O sorriso é o lindo cartão-postal do brasileiro.  Dá pra identificar um brasileiro de longe.

* ps: uma grande exceção é a linda comunidade de Andaluzia, em que o sorriso da população é contagiante.


5. ¿OS ESPANHÓIS TÊM A MESMA VOZ?

Sabe aquele pensamento preconceituoso que diz “os japoneses são todos iguais”?  Então, pode colocar na lista de preconceitos que “os espanhóis têm todos a mesma voz”.

Esta sensação vem da pronúncia lingual das consoantes Z e C,  das letras J e R que parecem o idioma árabe, vem do desenvolvimento cranial dos espanhóis diante dos sons nasais e, principalmente, DA FALTA DE COSTUME DO BRASILEIRO COM A LINGUAGEM.

Com o tempo, imerso no idioma, aprende-se a refinar o ouvido e a diferenciar quem é a María e quem é o Juan, mas num primeiro momento é assustador ouvir a mesma voz saindo de bocas diferentes.


foto

6. NÃO TEM ÁLCOOL

Calma, não é o álcool de beber. Numa coisa em que o espanhol é bom é em barzinho.

Os brasileiros estão acostumados a usar o álcool para tudo, e ainda podem escolher se querem um de 40%, 70%, de 92,5%,  99,6%, com essência de talco, de flor de lis, etc.

Na Espanha, os mercados só têm álcool para acender fogo e é tóxico ao contato com a pele. Os produtos de limpeza mais utilizados são detergentes, amoníaco e limpadores específicos.

E o álcool em gel antisséptico para passar nas mãos? Esse tem em pequenos frascos nas farmácias.





7. AS FARMÁCIAS SÓ VENDEM REMÉDIO

Ao contrário do Brasil, em que as farmácias são verdadeiros shoppings centers, na Espanha as farmácias focam em remédio e alguns poucos itens vinculados à saúde.

Pedir uma simples barrinha de chocolate na farmácia é o suficiente para passar muita vergonha.

Uma coisa é certa, nas farmácias espanholas não têm pilhas nem revistas, mas os remédios são bem baratos.


8. FUMA-SE MUITO

No Brasil, muitas pessoas fumam e é algo comum, mas na Espanha a quantidade de fumantes chega a chamar a atenção.

Pode-se dizer que se você der uma volta no quarteirão e encontrar 10 pessoas, 3 estarão fumando.   (sem exageros)

As propagandas anti-tabagistas são intensas, inclusive elas cobrem todos os lados de um maço.  Mesmo assim, a cultura do cigarro é bem forte.





9. DIZEM BOM DIA À TARDE

No Brasil, quando passa do meio-dia, começa-se a dizer boa tarde.  Na Espanha, o horário de virada é às 14h.

Parece pouca coisa, mas leva tempo para se acostumar a falar “buenos días” até mais tarde.


10. AS LOJAS FECHAM À TARDE

No Brasil, os horários de atendimento e de trabalho são das 9h às 18h.

Na Espanha, geralmente os horários são das 10h às 14h e das 17h às 21h.*

Então, se você quiser ir ao cabelereiro à tarde, pode esquecer. Será melhor encontrá-lo à noite.

*Logicamente há variações e exceções, principalmente em supermercados e áreas turísticas.


11. NÃO TEM SABONETE

Um item raro na Espanha é o sabonete. Os espanhóis têm o costume de usar somente o sabonete líquido para tomar banho; isso marginalizou o uso de sabonete comum, tornando-o difícil de encontrar.

Mas é possível achar o bendito sabonete, chamado de “jabón en formato pastilla”, em supermercados como o Carrefour ou DIA.  Logicamente, a variedade é bem baixa e o preço é alto.

Um sabonete Dove, por exemplo, pode ser encontrado a 3 euros a unidade, e é o Dove comum, em? Pois, como a própria UNILEVER nos informou, “en España no se distribuye la variedad Dove Karité en formato pastilla”.

Existem algumas marcas que tornam os sabonetes mais acessíveis, como o sabonete do próprio Carrefour (veja o próximo item)





12. MUITOS PRODUTOS COM MARCA DE SUPERMERCADO

No supermercado DIA, é possível encontrar Detergente da marca DIA, Cereais da marca DIA, Pães da marca DIA e até Refrigerantes da marca DIA…. enfim, os supermercados possuem uma variedade de produtos próprios que abrange centenas de produtos diferentes. O mesmo acontece, por exemplo, com o Carrefour.  Existe Leite do Carrefour e até Azeite da marca Carrefour.

Há um costume brasileiro de achar que os produtos com a marca do mercado são piores que os produtos “famosos” e “originais”, já os espanhóis pensam o contrário.

Além do mais, os produtos com a marca do mercado são consideravelmente mais baratos e são de boa qualidade, dificultando a venda dos concorrentes. (como se diz no Paraná, “tem chuncho nisso”)


13. OS ESPANHÓIS COSPEM  NO CHÃO

Sim, é isso mesmo que você leu. É  comum os espanhóis cuspirem o tempo todo no chão, principalmente os mais velhos.  No Brasil, muita gente também cospe, mas não é uma coisa bem vista, então os brasileiros tentam ser mais discretos.

Já na Espanha, é um costume que ninguém dá bola.  Então, saia com bons sapatos.


14. “ADIÓS” E “ADEUS” SE PARECEM,
MAS NÃO SÃO A MESMA COISA.

Os espanhóis dizem “Adiós” para uma despedida simples.  É como se fosse um “até logo”.

Diferente do Brasil,  em que o “Adeus” significa a mesma coisa que “até nunca mais”.

Acredito que o Adeus brasileiro é bem mais usado em suicídios e divórcios.





15. GRAÇAS A MIM O QUÊ?

Quando um espanhol fala “Gracias”, uma resposta é o “gracias a ti”.

É como se fosse um “obrigado” e a resposta “obrigado eu”.

Em português, quando se fala “graças a você”, é bem comum vir alguma coisa depois:
“Graças você consegui este emprego”. “Graças a Deus comprei um carro”, etc.

Então, é interessante ver um brasileiro recebendo um “gracias a ti” de um  espanhol, pois surge um minuto de silêncio em que vem aquele olhar brasileiro de “graças a mim o quê?” “O que é eu fiz?”


16. VAI TOMAR UM “DRIBLE DE MAÇANETA”

Uma coisa diferente na Espanha são as maçanetas das portas.  As casas e apartamentos mais antigos (que são quase todos) não têm uma maçaneta do lado de fora. Elas têm apenas um eixo esquisito no meio da porta e só.

Se você resolver sair rapidinho para pegar o jornal e a porta bater, você vai ficar trancado pra fora.

Mas uma coisa é legal: sempre é engraçado ver os brasileiros buscando a “maçaneta fantasma” e se decepcionando.  A pegada em falso vem com um dolorido suspiro de “que merda, viu?”


17. NÃO TEM LIXO NO BANHEIRO

Quando um brasileiro usa um banheiro na Espanha, ele perde uns bons minutos procurando o lixo para jogar fora o papel higiênico.  Mas não tem.

É comum, na Espanha, jogar o papel sujo na privada e isso ocorre porque o esgoto é praticamente 100% tratado, então já virou um costume social.    No Brasil, apenas 56% da população conta com o atendimento de redes coletoras de esgotos (segundo o SNIS), então há um incentivo (que estimula o costume social) para que o descarte seja feito em lixos separados e não prejudique o meio ambiente.

Na Espanha, geralmente os lixos são encontrados apenas em banheiros que há troca de fraldas, absorventes e etc.


18. NOS MERCADOS NÃO TÊM CAIXAS
EXCLUSIVOS PARA OS IDOSOS

A maioria dos supermercados espanhóis não tem um caixa exclusivo para os idosos*, e isso é uma coisa que deixa os brasileiros p* da vida, principalmente os mais velhos.  Não importa a idade, vai te que ir para o final da fila comum.

Muitos dizem que os jovens espanhóis são educados e sempre darão prioridade aos idosos.

Em compensação, existem uns engraçadinhos que falam que na Espanha tem tantos, mas tanto idosos que todas os caixas dos supermercados são os Preferenciais.

*claro que há exceções, principalmente nas multinacionais alemãs instaladas no país.


Esta páginas estão em contante desenvolvimento. Mais tópicos surgirão em breve.

E você? Passou um tempo na Espanha? Conte-nos nos comentários uma diferença que te marcou.


Por Francisco Thomé Arquer – jornalista e professor

3 comentários

    • CHRISTINA LOZANO em 30 de março de 2019 às 01:37
    • Responder

    Na Espanha os refrigerantes nos bares é vendido em garrafinhas pequeninas de apenas 250 ml e custa 2 euros. Que difícil encontrar coca cola com 350ml buaaaa

    • Percival em 30 de março de 2019 às 01:47
    • Responder

    Conheço quase a Europa inteira mas nunca vi tanto ladrão e batedores de carteira como em Madrid. Cidade linda bons bares e comida ótima, mas só.

    • Hugo Ribeiro em 30 de março de 2019 às 06:31
    • Responder

    Acho que acrescentaria os parquinhos para crianças, um a cada esquina e todos muito bem conservados. As bibliotecas públicas maravilhosas um a cada bairro, a coleta de lixo e de materiais diversos as quintas feiras onde voce pode colocar na rua desde uma torradeira até um sofa velho. Citaria também as piscinas públicas abarrotadas de velhinhos se exercitando coisa que você não vê no Brasil e tantas outras….

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

dois × 5 =