O que é a expressão hegeliana-marxista? Como usar em aula?


O que significa a expressão hegeliana-marxista? Como a utilizarei em sala de aula e nas teorias de aprendizagem? 

por Sônia Castelar em https://cursos.univesp.br


Expressão hegeliana-marxista (…) é importante entender que o filósofo Hegel influenciou outros filósofos, epistemólogos, cientistas.

É importante, para aprofundar a compreensão, ler a obra “Filosofia do Direito”, em que é possível entender como Hegel vê as posições referentes à relação entre o pensamento e o seu objeto. A discussão central é aquilo que é, uma vez que aquilo que é é a razão.

A expressão hegeliana-marxista tem relação com o fato de Hegel influenciar Marx ao tratar do método dialético, sintetizado sobretudo em duas proposições: o que é racional é real e o que é real é racional; e o ser e o nada são uma só e mesma coisa. Cada coisa só é na medida em que, a todo momento de seu ser, algo que não é vem a ser, e algo, que agora é, passa a não ser, passando, portanto, uma ideia processual de toda a realidade. Hegel caracteriza a realidade como movimento incessante e contraditório, condensável em 3 momentos: tese/antítese/síntese que se manifestam simultaneamente em todos os pensamentos humanos e fenômenos do mundo real.





Marx tem uma visão materialista da dialética hegeliana aplicada ao movimento e às contradições de origem econômica na história da Humanidade.

Essas ideias expressam genericamente o que vem a ser a dialética na concepção hegeliana e marxista, que influenciaram, por exemplo, Piaget e Vygotsky por meio da discussão da relação sujeito-objeto, significante-significado etc.

Esses fundamentos nos ajudam a entender as bases filosóficas das ciências, neste caso da psicologia. Referem-se ainda ao campo epistemológico do conhecimento (científico) – como se constrói conhecimento.

Não usamos em sala de aula, não tratamos desse tema em sala de aula, mas devemos estudá-lo e entendê-lo para que possamos compreender as teorias construtivistas e socioconstrutivistas (denominamos de fundamentos teóricos) que nos ajudam a entender o movimento das ciências e, no caso, do desenvolvimento do pensamento humano.  Ele ajudará na sala de aula a entender as atividades que estão sendo organizadas, o conceito de mediação, os conceitos científicos, e de generalização que sem dúvida darão suporte às atividades didáticas.




Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

cinco × 2 =