Exército dos EUA no Vietnã, 1965: 30 surpreendentes fotografias a cores que capturaram o lado humano da Guerra




Em março de 1965, 3.500 soldados dos EUA desembarcaram no Vietnã do Sul. Até o final do ano, havia 200 mil deles. Quando a LIFE enviou o jornalista Michael Mok e o fotógrafo Paul Schutzer para passar seis semanas com eles, os dois encontraram os fuzileiros navais mergulhados em um mundo de ambiguidade: eles, ao mesmo tempo tiravam vidas e as salvavam. Os soldados eram saudados como heróis e vilões condenados.

Fonte: http://www.vintag.es

As cenas que os homens capturaram, em imagens e palavras, refletem um mundo em que balas e bandagens foram distribuídas em igual medida. Os fuzileiros realizaram suas missões, matando e capturando soldados do vietcongues, mas também empreenderam uma missão mais ampla para ganhar os corações e as mentes das pessoas cujo mundo eles ocuparam. Tratar os vietnamitas com dignidade era tanto uma questão de decência humana quanto uma estratégia para conquistar a guerra: para adquirir inteligência crucial dos aldeões, os fuzileiros precisavam primeiro ganhar sua confiança. As imagens não são aquelas que retratam cenas de batalhas e guerras, mas aquelas que capturam a humanidade das pessoas envolvidas em uma situação que não é de sua própria criação.





































(Photos: Paul Schutzer—The LIFE Picture Collection/Getty Images) 

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

três × dois =