Como funciona o estímulo ao ódio nas redes sociais






COMO FUNCIONA O ESTÍMULO AO ÓDIO NAS REDES SOCIAIS

por Francisco Arquer Thomé – Professor e Jornalista




Referência da Matéria: http://g1.globo.com/mundo/noticia/maduro-fecha-fronteira-com-brasil-e-colombia-ate-2017.ghtml
Palavras-direcionadoras:  COMO FUNCIONA O ESTÍMULO AO ÓDIO NAS REDES SOCIAIS
Com o título, cria-se um inimigo; uma foto que mostre o inimigo e a bondade dos afetados; a maioria das pessoas não pesquisará o que aconteceu;  elas emitirão rapidamente sua opinião com ódio e intolerância ao inimigo. Se simplesmente colocarmos o título “Em meio à crise, Colômbia fecha fronteira com o Brasil”, já teremos uma nova perspectiva.
A criação de títulos parciais tende ao infinito e também há utilizações de eufemismos para criar heróis e vilões.
A relação de “bom” e “mau” é cultural. Já a sensação de dó é vinculada ao egoísmo. Quando as pessoas se espelham no oprimido, o ego as projeta ao outro e surge o ódio pela incapacidade de ação. Temos frases do tipo: “ah, se fosse eu…” É nato, quanto mais rápido entendermos algo, mais seguro será. Por isso os julgamentos rápidos fazem parte do processo evolutivo da nossa espécie.  Por exemplo: dois homens primatas serão atacados por um tigre faminto. Aquele que reconhecer o tigre primeiro, sobreviverá.
Na internet, além do excesso de informações oferecidas, o julgamento rápido se dá nas variadas construções linguísticas e nas difamações. A complacência é uma força poderosa. Se um grupo de amigos gostarem da cor azul, eles ficarão muito mais unidos se odiarem as pessoas de verde. Ter um inimigo em comum agrupa as pessoas e justifica a existência de suas insatisfações. (Francisco Arquer Thomé)

 

Deixe seu comentário