Vale a pena trabalhar na Uber? E o mototaxi da Uber?




 fonte: uberemrecife.com.br (com alterações e atualizações) / odia.ig.com.br/

O aplicativo Uber começou a operar nos Estados Unidos em 2009, mas só chegou ao Brasil em 2014 – primeiramente no Rio de Janeiro e um mês depois em São Paulo. Em 2015, a empresa se expandiu para Brasília, Porto Alegre e Belo Horizonte. Recentemente, o app. chegou à Campinas, Curitiba, Goiânia, Recife e Salvador. Em 2016 expandiu para as cidades menores, como Pinhais-PR e São José dos Campos-SP.

A expansão do Uber é tão intensa que, em 2016, já apresentaram até o Ubercóptero. Mas isso não é o assunto deste artigo.

 

A pergunta é: será que já é tarde para começar a dirigir para o Uber? Vale a pena? Quais as vantagens e desvantagens?

 

A primeira coisa. Qualquer pessoa pode ser motorista do Uber, desde que tenha mais de 21 anos, uma carteira de motorista permanente e não tenha antecedentes criminais.

Segue o depoimento de um motorista da Uber, responsável pelo website uberemrecife.com.br:


Após algumas semanas dirigindo, ainda continuo impressionado com como foi fácil começar a dirigir para o Uber e com a oportunidade de aumentar a renda. Diferentemente da maioria dos táxis, os motoristas do Uber têm total flexibilidade de horário e podem escolher quando querem trabalhar. Por esta razão, boa parte dos motoristas do Uber no exterior são pessoas que já trabalham, mas que usam o Uber para complementar a renda, o que é totalmente viável uma vez que só é preciso fazer uma corrida por mês para manter o cadastro ativo no sistema da empresa. No Brasil, tenho visto algumas pessoas fazerem isso, mas muitos estão trabalhando em tempo integral.

Utilizar o aplicativo Uber como segunda fonte de renda (part-time) é interessante para a empresa, para os passageiros e para os motoristas. Os horários de pico de demanda do Uber são antes ou após o início do expediente e nos finais de semana, portanto todo mundo sai ganhando. A tabela abaixo, que faz parte de um relatório semanal enviado pelo Uber aos seus motoristas, demonstra os horários que trabalhei na semana passada e os horários de pico de demanda. Como você pode observar, trabalhei nos horários que estava livre do meu trabalho em tempo integral, o que coincidiu com os horários de maior demanda.


imagem: uberemrecife.com.br






Mas o que tenho achado? Vale a pena?

Não posso falar muito da experiência de dirigir em tempo integral, mas como tempo parcial acho que tem valido bastante a pena. Gosto de dirigir, portanto trabalho para o Uber com prazer, a renda extra é razoável e o dinheiro é depositado na minha conta na semana seguinte ao trabalho.

Outro ponto que acho importante destacar é a flexibilidade. Não tenho a intenção de trabalhar muitas noites ou todos os finais de semana, mas na semana passada por exemplo, saí mais cedo do trabalho na sexta-feira e resolvi dirigir um pouco. Em uma hora, ganhei uma grana suficiente para a minha saída à noite com os amigos. No sábado, eu não estava com nenhuma programação social interessante. Poderia ter ficado em casa assistindo um filme, mas optei por dirigir durante a noite. Resumindo, posso falar que pelo menos por enquanto, as minhas corridas nem têm parecido trabalho. Como não recebo em dinheiro, acho bastante seguro e não preciso passar o constrangimento de ter que cobrar dos passageiros. Acho que eles até têm a sensação que a corrida foi de graça e só sentem no bolso quando chega a fatura do cartão de crédito.

E as desvantagens? Já fiz várias corridas e até agora todos os meus passageiros foram todos bem tranquilos. É claro que sempre existe o risco da segurança no Brasil, mas a única coisa que me incomodou até o momento foi o fato do aplicativo não ter a opção de pegar uma corrida em direção à minha casa quando estou pronto para concluir a jornada de trabalho. Entendo que o Uber não queira que os motoristas fiquem escolhendo corridas para que eles não evitem corridas curtas, por exemplo, mas o Uber deveria pelo menos criar uma opção “corrida no sentido da minha casa”. Outro dia peguei uma corrida para o outro lado da cidade quando estava pensando em voltar para casa, o que acabou adiantando o fim da minha jornada de trabalho. Talvez esteja pedindo demais, mas é o que tem me incomodado até agora.






 

E o Uber MotoTaxi?

Se na Tailândia o serviço da UberMoto é um sucesso, no Brasil ainda é discreto. Em meados de 2016, o UberMoto surgiu em São Paulo, mas é um aplicativo chamado T81 que está tomando conta do mercado.

Em Curitiba-PR, instalamos o T81 e não há mototaxis ainda, mas já há carros do aplicativo. Na verdade, apenas um carro de luxo estava disponível no centro da cidade.

Muita segurança

Segundo a T81, motoristas e mototaxistas parceiros passam por rigorosa análise de perfil para cumprir critérios estabelecidos pela empresa. É necessário ser maior de 18 anos para se cadastrar como parceiro, possuir CNH válida para carro (categoria B) e moto (categoria A), apresentar certidão isenta de antecedentes criminais e ser aprovado em testes e cursos internos da empresa.

O serviço também exige que os motoristas estejam em dia com o seguro DPVAT e devidamente licenciado. A cada 90 dias, a T81 realiza vistorias presencias, seguindo critérios objetivos de conforto e segurança aos passageiros.

Existe também um serviço chamado Garupa – Mototaxi,  mas por enquanto seus serviços estão crescendo devagar. Ele começou no Rio de Janeiro e agora está em Ribeirão Preto-SP.


Se você quer ser um motorista da Uber?

+ Acesse Aqui


Tem interesse em ser motorista da T81?

+ Acesse Aqui